Saiba como vender mais em Feiras

Costuma vender os seus produtos em feiras ou fora da sua loja? Então sabe que essa pode ser uma tarefa tão entusiasmante quanto exaustiva. Temos algumas dicas que o vão ajudar a fazer uma gestão mais fácil do seu negócio e a otimizar as suas vendas quando decide levar o negócio para fora da sua loja.

  • Veja o que os “bem sucedidos” estão a fazer.

Gostar muito de um negócio ou de um produto não significa logo à partida que o vamos saber vender. Primeiro que tudo é importante visitar algumas feiras do género para perceber exatamente como tudo funciona e se o produto que queremos vender tem a qualidade e a “personalidade” necessária para ter sucesso naquela feira.

É também importante encontrar o sítio ideal para o seu produto, tanto a nível do tipo de feira que é como da própria localização da banca em si. Pode aprender-se muito sobre qual o comportamento a tomar nesta forma de se fazer negócio fazendo perguntas a outros vendedores mais experientes. Eles, melhor que ninguém, sabem quais as feiras que valem a pena e quais nem vale a pena tentar.

  • Faça primeiro o trabalho de casa.

Um pouco de pesquisa deixa-o muito mais preparado para o que o espera do outro lado. Quem é que habitualmente vai comprar a este sítio? Que tipo de ambiente e experiência se deve esperar? Quanto vai custar estar lá presente? Quanto é que devo esperar vender?

Todas estas questões devem ser bem refletidas, sobretudo porque vender em qualquer que seja o sítio implica investimentos, investimentos esses que devem ser bem ponderados. Estes custos normalmente relacionam-se com o expositor em si, com todo o material de marketing e decoração necessários, com os custos de viagem ou com os custos de encomenda. Tudo isto sem contar com os custos inerentes à aquisição do material que está a vender. Dependendo do local da feira pode ainda ser necessário uma licença ou autorização para lá vender.

Antes de tomar uma decisão faça um levantamento de quanto vai precisar de vender para que a sua presença naquele lugar seja lucrativa para si (ou para que, pelo menos, atinja o breakeven point).

  • Disponibilize multibanco.

As feiras e sítios semelhantes são locais descontraídos. O dinheiro físico que os consumidores levam para estes locais é limitado e por isso é muito mais fácil para eles, independentemente do valor da compra que estão a fazer, poderem entregar o seu cartão para que sejam feitas as transações, sobretudo porque estão constantemente a saltar de “banquinha em banquinha”.

Facilite ao máximo a experiência do seu consumidor com os seus produtos. Se não aceitar cartão é muito provável que, quase de certeza, perca vendas para as bancas que o disponibilizem.

  • Peça o Preço certo.

Embora os produtos nestes locais sejam conhecidos pelo preço mais baixo e que, por isso, sejam mais fáceis de vender, no total é necessário que vender muito mais produtos para cobrir os custos que teve e conseguir fazer algum lucro.

A verdade é que as pessoas veem em todos os tamanhos e feitios, assim como tamanhos de carteira quanto ao que estão dispostos a gastar. Para ir de encontro à diversidade de pessoas que se desloca a estes locais é importante ter produtos que respondam a diferentes escalas de preço.

  • Comece pequeno.

Não invista muito dinheiro até ter a certeza de que esta aposta vai resultar para o seu negócio. Enquanto ainda está a estabelecer a sua “reputação” e a construir uma rede de clientes, independentemente de qual o sítio em que se encontra a fazê-lo, mantenha as suas despesas no mínimo. Alugar ou pedir emprestada uma banca a outro vendedor em vez de comprar logo uma para si é uma boa solução ou até mesmo, inicialmente, dividir a banca com outro vendedor ou artista.

Pode ser que, com o tempo, surjam clientes habituais mesmo nestes locais, mas pense no futuro sempre tendo em conta os cenários piores, de forma a estar preparado. Ser bem-sucedido implica sempre que dedique o seu esforço, tempo e dinheiro, e é por isso que antes de se comprometer é tão importante testar terreno e ver se este é mesmo o negócio certo para si.

  • Não vá sozinho.

Embora entusiasmantes, as feiras conseguem ser bastante exaustivas e é por isso que é importante levar alguém que o consiga ajudar na banca e a lidar com os clientes, mesmo em momentos de pausa. Isto vai permitir-lhe fazer as pausas para ir á casa de banho, para o café, e sobretudo para comer, sem que tenha de fechar a banca e possivelmente perder algumas vendas por fazê-lo.

Sobretudo no início vai precisar de alguns “bons amigos” e da ajuda da sua família para conseguir lidar com os desafios que fazem parte desta nova aposta de negócio.

  • Saiba o que vai vender.

Faça uma fácil gestão dos seus stocks. Não deixe acabar nenhum dos seus produtos e faça um controlo descomplicado das suas encomendas, mas não leve material em excesso ao ponto de regressar a casa com a maioria do que levou. É por isto que a aposta num software que lhe permita certificar-se de que leva stock suficiente para aquilo que os seus clientes procuram é a melhor aposta.

Não se esqueça que para além dos produtos que está ali para vender ainda vai ter que lidar com todas as questões logísticas da sua banca. Algumas cadeiras, uma mesa pequena, uma calculadora, uma máquina multibanco, algo que lhe permita imprimir as faturas que passar, sacos onde os seus clientes possam levar a compra que acabaram de fazer, e ainda qualquer brochura ou material

  • Chame a atenção das pessoas.

As pessoas gostam de ver paixão na forma como a pessoa do outro lado do balcão lhes vende o produto. A sua banca não precisa de ser extremamente criativa mas aspetos como a limpeza, a boa disposição dos produtos e os preços bem marcados, tornam a banca mais atraente para um consumidor. Quanto menos confusão gerar no consumidor, mais positivos serão os resultados da interação entre o ambiente provocado pela banca, o vendedor e o consumidor em si.

  • Crie uma mailing list.

As feiras ou locais do género são uma ótima forma de desenvolver uma base de dados de consumidores. Iniciativas como um sorteio de produtos ou oferecer algo como logo da empresa em troca de um contacto ou morada da parte deles são formas simples de o conseguir e geram sempre reações positivas (as pessoas adoram a ideia de poder ganhar algo gratuitamente e sem que lhes dê muito trabalho).

Depois de obter uma forma de contactar com os seus clientes vai ter uma forma de convidar os seus clientes quando voltar a estar presente no mesmo local ou em outro local do género. Esta prática de enviar emails ou de fazer chamadas é uma forma mais económica, pessoal e até mais eficaz de conectar diretamente com o seu consumidor e começar a construir uma possível relação duradora.

  • Faça sempre um balanço.

quantas pessoas interagiu? Quanto conseguiu vender? Quanto gastou?

Antes de avançar para outra aposta do género sente-se um pouco e avalie como o seu negócio se comportou realmente, incluindo todas as despesas que teve. Aqui estamos a falar de lucros e não das vendas que fez, o que significa que custos com materiais, como a manutenção da banca, a limpeza e os envios são todos descontados neste valor final. Este tipo de avaliação e atenção ao breakeven point vai ajudar a perceber se deve voltar a participar nessa feira e que aspetos deve melhorar.

 

Experimente ainda hoje o software que o vai ajudar a tornar o seu negócio numa tarefa muito mais descomplicada e rápida de executar.

.