O que os empreendedores e os Golfinhos têm em comum?

Num artigo passado já lhe falámos de férias. Não sobre destinos paradisíacos que não pode perder (infelizmente), mas como pode dar um salto à sua empresa sem ter de tirar os pés da areia.

Hoje, continuamos de frente para o mar para lhe falar de golfinhos. É verdade, este dócil mamífero que tanto admiramos pela sua inteligência extrema, partilha uma característica no seu descanso que é comum a qualquer empreendedor: dormir pouco para evitar ser comido por um tubarão.

Porque são capazes de dormir apenas com metade do cérebro de cada vez, um golfinho mantém o seu estado de alerta durante 15 dias consecutivos sem mostrar sinais de fadiga. O sono de um empreendedor não é uni-hemisférico (pelo menos que saibamos), mas sem dúvida que dorme poucas horas e, nem por um instante, deixa de pensar na sua concorrência.

Então, quais são os truques que podemos incorporar na nossa rotina que nos vão transformar em verdadeiros “golfinhos do descanso”?

Sestas curtas, mas poderosas.

Biologicamente falando, dormir não é uma escolha – é uma necessidade. Não dormir pode culminar numa série de eventos menos felizes, como a perda progressiva de sanidade, e pode também tornar-se, eventualmente, fatal. Claro que isto não é, de todo, o que se pretende quando se tem planos de negócio ambiciosos.

Existem, no entanto, formas de circundar esta necessidade. As chamadas “power-naps”, que se distinguem das comuns sestas por permitirem, a quem as pratica, cair diretamente em sono REM (mais vulgarmente conhecido por “sono profundo”) em apenas alguns segundos possibilitam um descanso reparador. Acredita-se que cerca de 20 minutos desta prática consiga equivaler a 1 hora de sono comum.

Descubra os seus horários naturais.

Conhecer os horários naturais do seu corpo é crucial para tornar o seu descanso o mais produtivo possível. Se é naturalmente uma “coruja” ou um madrugador, deve ajustar o seu tempo de sono de acordo com isso. Desse modo, conseguirá descansar de uma forma mais eficiente. Ainda que alguns estudos demonstrem que é possível ajustar os nossos horários naturais, tal demora bastante tempo até ser instituído com sucesso.

Se sabe que ainda não está no seu maior rendimento às 9 da manhã, mas consegue trabalhar de forma mais eficiente às 21:00, porquê contrariar?

Não se engane a si próprio.

Por muito tentadores que sejam, tente evitar, ao máximo, qualquer tipo de estimulante. Cafeína e outros géneros de produtos vêm com um preço: a lei dos rendimentos decrescentes. Por outras palavras, quanto mais fizer uso de estimulantes, mais terá necessidade de os usar. Outro pormenor a ter em conta é que estes não extinguem a necessidade de dormir – apenas a adiam.

 

Concluindo, talvez mais importante do que se manter acordado, será adquirir uma melhor perspetiva acerca da vida em geral. No final de contas, não devemos perder o foco do facto de que um negócio é um meio para alcançar um fim – não o fim em si próprio. Se passássemos a nossa vida a trabalhar, não teríamos tempo para apreciar os frutos do nosso trabalho. E, sejamos realistas, se os golfinhos conseguissem construir locais de refúgio para se esconder dos tubarões, com certeza apreciariam uma noite de sono tanto como nós.