Como a Cloud mudou a forma de se fazer negócio

A Cloud veio revolucionar a forma como vivemos. A rapidez com que a adotámos e a proliferação do seu uso pelas mais diversas entidades públicas e privadas são prova de que estamos perante uma verdadeira “revolução digital”.
O impacto que a Cloud tem tido no mundo dos negócios é tão profundo que é difícil acreditar que o conceito só tenha surgido há oito anos.
E é algo que veio para durar. A empresa de research Data Corp. estima que em 2020 vão existir cerca de 28 biliões de dispositivos conectados! Isto traduz-se em inúmeras possibilidades e oportunidades para as empresas planearem a sua estratégia para o futuro.

Mas o que realmente aprendemos com o que a Era digital nos tem trazido? Como é que a Cloud tem afetado os nossos negócios? E porque é que as empresas estão a mudar para a Cloud?

“A capacidade de uma organização de aprender, e traduzir essa aprendizagem em ações rapidamente, é a verdadeira vantagem competitiva”
– Jack Welch, General Eletric CEO

Nos últimos anos as empresas tiveram que aprender como utilizar a Cloud da melhor maneira. Aqueles que conseguiram aprender a fazê-lo e a incorporar esses novos conhecimentos às suas estratégias, rapidamente, são aqueles que melhor estão posicionados para o futuro.

A nossa rápida adoção da tecnologia mobile só potenciou e acelerou ainda mais este processo. As aplicações de SaaS modernas para gestão, marketing e recursos humanos estão a permitir às empresas acelerar as operações e criar maior proximidade com os seus clientes. São aplicações mais fáceis de adquirir e instalar, atualizadas frequentemente, e por isso refletem o estilo de vida dos empresários e dos próprios consumidores de hoje em dia. Cada vez mais as empresas abraçam a Cloud como uma estratégia tecnológica de negócio que pode trazer novas receitas, aumentar a lealdade do consumidor, transformar as empresas de forma a responderem a novas exigências e converter dados operacionais de back-office, que provavelmente nem receberiam atenção antes, em insights orientados para o cliente.

A Cloud revolucionou a forma de se fazer negócio em inúmeros aspetos. Deixamos-lhe os cinco que mais se destacam:

Nivelou o campo de jogo.


No que diz respeito ao armazenamento de dados e às infraestruturas necessárias para gerir um negócio, o “quantificar” pode ser algo difícil de definir. Mas uma coisa é constante: os pequenos negócios e as startups precisam de muito menos no que diz respeito a armazenamento e servidores. No entanto, antigamente, quando esse mesmo negócio se expandia, isso costumava constituir um problema. Não apenas porque implicava um grande investimento, mas ainda porque era necessário arranjar sítios onde se pudesse guardar todo esse novo equipamento, traduzindo-se isto em ainda mais custos.

Com a Cloud, os donos dos pequenos negócios podem rápida e facilmente expandir as suas infraestruturas e network à distância de uma chamada ou de um email, assim como por uma fração do que lhes custaria comprar e manter o equipamento necessário.

Possibilitou que mercados emergentes se tornassem competitivos.


A Cloud permitiu que mercados emergentes como a China e a Índia competissem com os Estados Unidos e a Europa. Por definição, os mercados emergentes ainda estão em processo de desenvolvimento, e com isso vêm infraestruturas de alta velocidade, profissionais experientes, e ainda cidades com polos que suportam e acolhem negócios altamente tecnológicos.

Permitir que startups e novos negócios em países em desenvolvimento possam mudar rapidamente as suas necessidades de network para um fornecedor de serviços na Cloud, estabelecidos em qualquer canto do mundo, é um enorme benefício.

Aumentou a mobilidade e velocidade.


Este aspeto é particularmente importante não só para os empresários, mas também para o utilizador comum. Colocar tudo na Cloud permitiu aos negócios serem mais flexíveis com os seus empregados. Poupa tempo, custos de deslocação e acelera a eficiência de resposta, que se torna assim mais rápida também.

Caso um cliente tenha uma emergência num domingo à noite (ou você esteja de férias!) e precise que você lhe envie um ficheiro imediatamente, basta ligar-se ao servidor da empresa e consegue fazê-lo em poucos minutos.

Permitiu poupar dinheiro.


O custo do software na Cloud é uma fração do que custa a compra, instalação e gestão do seu próprio data center.
Claro que existem custos mensais, que vão aumentar baseados no uso que pretende dar ao software, e que muitas vezes existe uma quota a pagar pela migração dos dados para a Cloud, mas esta continua a ser uma opção muito mais acessível. Sobretudo porque os custos de manutenção se encontram incluídos.

A maioria das empresas que fornecem serviços na Cloud especializam-se apenas nela. Isto permite-lhes ter custos muito inferiores (porque investem em grande volume) e, naturalmente, disponibilizar os seus serviços a preços incrivelmente baixos.

Reduziu o risco de roubo pessoal.


Portáteis roubados ou perdidos com informação confidencial costumavam ser um grande problema. Em 2010 um estudo descobriu que 10.000 portáteis eram dados como perdidos, por semana, nos 36 maiores aeroportos dos Estados Unidos.

Com o acesso à Cloud, a situação de roubo continua a ser negativa (ninguém gosta de perder algo valioso para si) mas pelo menos os utilizadores continuam a conseguir aceder aos seus ficheiros, através do username e da password corretos. Informação essa que não fica acessível à pessoa que encontrou ou roubou o computador.

Não se deixe ficar para trás. Potencie o seu negócio ainda hoje!