5 passos para o ajudar a criar uma startup de sucesso

Todos sonhamos em ter o nosso próprio negócio, ser o nosso próprio patrão e tomar as rédeas do futuro da nossa empresa. Mas, será que a ideia é realmente boa, viável e lucrativa? Muitas startup não se dão conta do seu verdadeiro potencial de mercado passando os dias com uma nuvem negra carregada de expectativas e receios.

Tal como Steve Jobs disse um dia:

“O seu trabalho vai ocupar uma grande parte da sua vida, e a única forma de estar verdadeiramente satisfeito é se fizer aquilo que acredita ser um ótimo trabalho. E a única forma de fazer um ótimo trabalho é gostar realmente daquilo que faz”.

Descubra ao longo deste artigo pequenos truques que lhe vão dar o impulso necessário para que as suas ideias atinjam o sucesso.

5 passos para fazer crescer a sua startup.

1. Faça as contas

A capacidade de previsão é um dos elementos chave numa estratégia de negócio. O ideal é compreender qual será o custo ainda antes de ser feito o gasto.

Como tal, é aconselhado que tenha um fundo para todos os seus custos operacionais com, pelo menos, 12 meses de antecedência, para além de manter os seus riscos no mínimo. Não se deixe ir abaixo se o seu negócio começar devagar, gradualmente começará a receber os seus rendimentos.

Não é de todo sensato empregar dinheiro do seu próprio bolso na sua startup, quando pode investir os ganhos que vai fazendo ao longo do tempo, de modo a proteger o seu fundo, e, consequentemente, a si próprio. Se investir a partir das suas receitas, estará certamente a fazer bons negócios.

2. Corte nas despesas

Ao invés de contratar um designer ou um gerente para fazer coisas essenciais do seu dia-a-dia, tente fazer uso de ferramentas de negócio inteligentes. Por exemplo, quando for altura de construir um website para a sua startup, considere utilizar um construtor de websites online que lhe torna possível construir um website a preço um acessível. Também pode fazer uso de outras ferramentas como as de email marketing service para enviar os emails a subscritores numa base diária, software de gestão para coordenar as suas atividades contabilísticas e ferramentas que permitam videoconferência e videochamada para falar com os seus clientes.

Utilizando ferramentas como as sugeridas, e muitas outras que existem por aí, não só se estará a ajudar a si próprio a completar as suas tarefas essenciais, como também fará um melhor controlo dos seus gastos. Lembre-se, a gestão de gastos é a chave para o sucesso de uma startup.

3. Não fique dependente de terceiros

Se há coisa que deve evitar no seu negócio é tornar-se excessivamente dependente de outras pessoas. Um erro bastante comum é o de delegar tarefas com imensa responsabilidade a pessoas que são incapazes de as executar, ou que simplesmente não estão interessadas nelas. No final de contas, o peso acaba por cair em quem delegou as tarefas em primeiro lugar. Para evitar problemas do género, é sugerido que tenha domínio de cada departamento para que, na eventualidade de algo acontecer, possa controlar a situação e resolver o problema com facilidade.

Não caia no erro de pensar que por ser dono da empresa se pode desleixar e transferir todo o peso e responsabilidade para os seus trabalhadores. As suas maiores responsabilidades começam a partir do momento em que se tornar um empreendedor por conta própria.

4. Siga o modelo AIDA

AIDA é um modelo de marketing que lista os eventos que acontecem quando um consumidor interage com uma marca. A sigla representa: Atenção, Interesse, Desejo e Ação.

De uma forma muito simples diz-nos que os negócios precisam seguir esta fórmula básica para criar atenção no mercado e interesse no cliente, de modo a suscitar desejo, e, finalmente, levar o consumidor à ação.

AIDA

5. Seja Lean

O pugilista Mike Tyson disse sobre da estratégia pré-combate dos seus oponentes:

“Toda a gente tem um plano, até levar com um murro no queixo”.

O método Lean Startup é um método científico para criar e gerir startups de uma forma mais rápida e eficiente. O componente base desta metodologia é o anel de feedback “construir-medir-aprender”. O primeiro passo é identificar um problema e construir o mínimo de produto viável (MVP) para que se crie um processo de aprendizagem o mais cedo possível.

Construir-Medir-Aprender

É importante compreender o facto de que as startups existem para se construir um negócio capaz de se sustentar em ambas as pernas com toda a sua força. O lançamento de uma startup é como uma experiência que nos permite testar todos os elementos da nossa visão.